VÍRUS DA PÓLIO É DETECTADO EM AMOSTRA DE ESGOTO NO ESTADO DE SÃO PAULO

Vírus foi encontrado nos dejetos sanitários do Aeroporto de Viracopos

A Organização Mundial da Saúde (OMS) confirmou, recentemente, que o vírus da pólio tipo 1 foi encontrado em uma amostra de esgoto coletada em março de 2014 em Campinas, no Estado de São Paulo. As autoridades brasileiras estão conduzindo mais investigações para descartar a possibilidade de alastramento, mas até o momento nenhum caso da doença foi registrado.

O sequenciamento genético concluiu que a amostra é similar a do vírus encontrado em Malabo, na Guiné Equatorial, em março. O risco de exportação pela Guiné continua alto, pois o país já reportou quatro casos da doença em 2014.

“A detecção do vírus no esgoto do Brasil ressalta a importância de algo que o Rotary e seus parceiros já sabem há muito tempo: se a pólio existir em qualquer lugar do mundo, todas as crianças continuarão em risco”, explica Robert Scott, presidente da Comissão Internacional Pólio Plus. “No entanto, não há nenhum caso de poliomielite no Brasil neste momento e estamos monitorando a situação de perto.”

Apesar da notícia, o risco da transmissão da doença no Brasil é muito baixo. A OMS aconselha a todos os viajantes a se vacinarem contra a pólio, embora a amostra coletada não signifique uma ameaça específica para os brasileiros ou visitantes.

A poliomielite, ou “paralisia infantil“, é uma doença infectocontagiosa causada por vírus que se instala agudamente e é caracterizada por um quadro clássico de paralisia flácida de início súbito. A transmissão desta doença ocorre através de contato direto com as fezes (via fecal) ou, mais raramente, gotículas expelidas pela boca da pessoa infectada (via oral). A multiplicação inicial do poliovírus ocorre nos locais por onde penetra no organismo (garganta e intestinos). Em seguida dissemina-se pela corrente sanguínea e, então, infecta o sistema nervoso, onde a sua multiplicação pode ocasionar a destruição de células (neurônios motores), o que resulta em paralisia flácida.

Em 1986, o Rotary doou seis milhões de dólares para o Ministério da Saúde do Brasil, para ser aplicados na erradicação da poliomielite.

O último caso ocorreu em Sousa, na Paraíba, em 1989 e a doença foi considerada erradicada no Brasil em 1992. Mas, enquanto o vírus não for eliminado completamente, em todo o mundo, mesmo as áreas livres de pólio – como o Brasil – devem continuar vacinando suas crianças.